Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Este Verão.

Passou um mês desde a última vez que vos escrevi. Tenho andado por aqui meio à deriva e meio perdida neste verão e mundo que entristeceu no meio desta pandemia.
O desconfinamente foi chegando e não vou ser hipócrita, já fui à piscina, já fui ao rio, já fui a esplanadas, já estive com amigos e com família, como a maioria das pessoas. Cada dia que passa tenho mais medo e sinto-me tão exposta no meu trabalho que o medo aumenta mais a cada dia.
Há dias que sinto uma tristeza gigante pelo que o mundo se tornou. Temos medo dos trabalhos quando não há vendas, temos medo dos sonhos que estão pendentes... Há dias que se aguenta, há dias que não. Como disse, eu já fui aqui e acolá, mas sempre que tenho que levar a máscara, sempre que tenho que a colocar, sempre que desinfecto as mãos (e já fui alertada por amigas que estava a exagerar) eu sinto que este mundo está bem mais triste. Nada daquilo me faz sentido, aquilo magoa-me e entristece-me mesmo (atenção que não estou a dizer que não devemos …
Mensagens recentes

13/06/20 - O dia em que NÃO casei

Foram mais de dois anos a sonhar este dia. Este dia 13 de que tanto gostamos e que para nós representa sorte. Foram sonhos, foram sorrisos, foram lágrimas. Foi partilha, foi dedicação, foi tudo ou mais do que o que sonhei quando era uma miúda.
Tenho, graças a Deus, um amor tão bonito. Tive o privilégio de ter um pedido de casamento de sonho. Ia ter uma lua-de-mel com a qual nem nunca sonhei porque a prioridade era o casamento. Quando pensava nisto tudo, a minha cabeça e o meu coração faziam-me sentir uma miúda cheia de sorte, mesmo. Tudo era um sonho.
Mas depois chegou este Covid e, como disse numa publicação nas minhas redes sociais, só algo que pára o mundo nos poderia parar. E parou. A nós e a tantos outros que sonharam com um dia assim, dedicado ao amor.
Foi muito duro para mim. Psicológicamente foi um arraso. Tenho a sorte de ter um colo e um abraço que me traz à realidade, que me mostra as coisas boas da vida, mesmo quando eu só vejo as más, que me aconchegou em cada soluço de …

5 coisas que podemos fazer este Verão

Um pic-nic com o teu amor, com a tua família ou com os teus amigos. Ou com todos, porque não? :)


Tratar da tua varada ou do teu terraço como parte integrante da tua casa. E desfrutar dela.


Fazer uma formação. Com isto da quarentena há imensas empresas a fazer formações à distância. Estou na segunda e vou começar a terceira para a semana :)


Aproveitar o que tens por perto. Serra, praias fluviais, rios. Serão lugares mais calmos que te permitirão conhecer mais e melhor.


Sair pela tua cidade, fotografando-a. No outro dia, enquanto caminhava com o meu namorado, vi lugares que nunca me tinha apercebido que existiam.

Ainda não percebi se este será um verão diferente ou não. Ainda não percebi se as pessoas serão cautelosas ou se farão tudo como normal. Acho que devemos ter cuidado e não descurar o que foi feito até aqui. Deixo 5 dicas para que possam fazer coisas que tornem o vosso verão especial e para que possamos usar os meios que temos.

Fim da minha quarentena

Hoje regresso, parcialmente, ao trabalho. Termino assim dois meses e oito dias em que, de um dia para o outro, o mundo se virou do avesso. Dói-me ver a minha agenda tão vazia durante tanto tempo e, quando escrita, tem a palavra "adiado  quase sempre associada.
Quem me lê e acompanha sabe quão duro foram estes dias. Quanta revolta. Quanta lágrima. Quanto soluço de dor. Vejo muita gente a dizer que aproveitaram, que a vida nos obrigou a parar, que isto e aquilo, tudo envolto num palavreado digno de um bonito livro. Eu hoje disse-o e volto a dizer, não consigo ver nada de positivo no que se passou. Falo por mim. Falo pelo que vivenciei. Falo pela minha experiência.
Consegui, em parte, parar a cabeça no que ao trabalho diz respeito, sim. Não senti falta e aguentava, na boa, mais uns dias, mas por outro lado sinto que a minha cabeça precisa desta agitação e rotina do dia a dia. Se me apetece ter o telemóvel a tocar para resolver situações de trabalho? Zero. Se me apetece passar o ver…

A vida nas redes sociais

Ultimamente as pessoas dedicaram-se a ir à praia e a sítios bonitos e, como é óbvio, fazem questão de partilhar nas redes sociais. Eu ando irritadissima, com mais saudades da praia (que está bem longe de mim) e de passeios, a deprimir ainda mais com a lua-de-mel que NÃO vou ter no próximo mês, a ressacar por banhos de mar ou de rio ou de qualquer coisa.
Eu não sei como vai ser este verão, mas noto neste Maio uma afluência gigante a estes sítios. A malta estava desejosa e não sei se vai correr bem ou mal.

Confesso que eu também estou desejosa por fazer tudo e mais alguma coisa. Não fosse ter a minha sogra cá em casa e acho que seria um fim de semana de passeios por aí...

Ando já a sofrer por antecipação, com o verão confinada ao shopping, provavelmente sem quaiquer férias. Sim, estive em casa, mas não estive de férias, isso faz toda a diferença.

Fui a uma esplanada

Hoje fui a uma esplanada com a minha mãe. Fomos no bairro onde cresci, um sitio bem pequeno e pacato. Tinha muita mas muita vontade de ir a uma esplanada.
Nunca dei tanto valor à uma coisa tão simples.

Quarentena #4

Ando bem mais calada porque não tenho nada para dizer. Pelo menos de interessante.

Quanto às cenas que se passam nesta quarentena... Vamos lá deixar para a posteridade.

- Hoje era dia de festa para a Família. Um dos meus sobrinhos faria a sua Bênção das Pastas. Adiada. Comprei, apesar disso, um ramo de flores para lhe levar logo à noite e ouvir com ele a serenata online.

- Não li nenhum livro. Sou um extraterrestre. Já comecei dois e não os acabo. Não me consigo concentrar.

- Estou farta de me sentir dona de casa. E a treta da casa nunca está suficientemente limpa e arrumada. Dá-me uns nervoooos.

- O entusiasmo das receitas novas já foi por água abaixo.

- Percebi que sou uma pobretanas. Quando falo sobre o que as pessoas perderam com a quarentena ou algo do género, percebo mesmo que afinal não temos um rendimento médio mas sim abaixo da média. Não estou a brincar.

- Castramos o gato.

- O cão invadiu a nossa sala durante a noite e parecia que tínhamos sido alvo de um assalto. Roeu um …