27.9.13

Ooooh...

Imagem daqui.

...parece que ontem foi mesmo a última noite de esplanada do ano. Detesto a chuva. Ponto final, parágrafo, travessão.
- Sim, eu sei que faz falta. Mas posso não gostar na mesma?


26.9.13

Parabéns...

Imagem daqui.

...a ti, que és o homem da minha vida.
Amo-te docemente e desejo que sejas sempre muito muito feliz.

25.9.13

Hmmm...delícia


Ora aqui está o resultado. Hoje meti mãos à obra e estive a fazer umas coisinhas para tentar vender a pessoas conhecidas e ganhar uns troquinhos eheh Depois, meti mãos na massa e pumbas, aqui estão os crepes. Ok, não têm o melhor aspeto do mundo, mas estavão maravilhosos :D Enchi-o de nutella, uma bola de gelado, um copo de leite, um quilo de celulite et voilá :)

24.9.13

Doce.

Imagem da minha autoria.

Quando a vida anda amarga, tratamos da coisa assim. E sabe tão bem.
Amanhã faço pseudo-crepes. Hmmm

22.9.13

O meu bebé bom...

Imagem daqui.

...estava tristonha hoje, e acho que era mesmo saudades dele. E entretanto o meu primo disse para testarmos o skype e vi o meu bebé bom, o meu príncipe, o meu amor maior. E pronto, embora ele não ligasse nenhuma à minha voz e continuasse o seu sono de beleza, o meu dia ganhou outro brilho. E sim, agora apetece-me chorar um bocadinho, mas o coração está quentinho :) eheh. E à tarde vou voltar a vê-lo, a ele e aos tios e primos (que um deles faz dois aninhos) e aos avós. E isso não é perfeito, mas é bom.

21.9.13

Ai praia, praia...





Praia do Meco.




Portinho da Arrábida.



Cabo Espichel.


Castelo de Sesimbra.


Rua dos Pescadores.


Marina.



Lagoa de Albufeira, Sesimbra.

Não fiquei fã de Sesimbra, ao contrário do que esperava. Mas praia é e será sempre praia, algo que amo. Se eu pudesse era bem perto do mar que eu morava. Tenho a sorte, ultimamente, de fazer uma semana de praia por ano, mas isso não me enche as medidas. Precisava de mais. Mas é o que há e tomara muita gente :) Quanto a Sesimbra desiludiu-me um pouco, não gosto muito da mistura tão vincada entre Serra e Mar. Não sei se voltarei, mas tem um pôr do sol lindo. Lá isso tem.

Bom fim-de-semana, gente do meu estaminé.

20.9.13

Sim, sou jovem.

Sim, sei que sou. Mas o meu país não me deixa sonhar com os sonhos de uma "miúda" de 25 anos. Sou jovem no meu documento de identificação mas talvez eu esteja a ficar velha com os sonhos que me vão passando. Já tomei um calmante hoje mesmo sendo jovem. O meu coração bate a mil, a minha cabeça não pára. Mas os sonhos, ai os sonhos. Vivo aprisionada numa formação que tirei e, não sendo esquisita para trabalhar, ainda não sei bem se deve ou não permanecer no meu curriculum. Licenciada em Ciências da Comunicação, por uma universidade que considero de prestigio, pesa-me a dúvida se esse facto deve ou não permanecer no meu curriculum. A última experiência profissional já foi retirada para os curriculus fora da área, a maioria das pessoas não gosta de jornalistas. Essa gentinha que mete o nariz em tudo e inventa coisas que dá dó. O mundo esquece-se que a informação e o avanço que o mundo sofreu, muito devem aos jornalistas. Ah, isso não interessa, está na moda odiá-los, então vamos a isso. Continuando, já disse que sou jovem não já? E sim, tenho sorte, mais sorte que muitos. Já trabalhei em rádio e em TV. E em lojas, cafés, call centers e promoções também, mas sim tenho muita sorte em ter trabalhado na área e até devia colocar num altar o patrão que me despediu com três meses de salário em atraso e com um MUITO BOM na nota de estágio profissional. No fundo é o meu país que permite isso porque, imagine-se, as medidas não são muito fáceis para quem fez estágio profissional e ficou a ver navios com o dinheiro. Mas este patrão que o deve fala, com todos os dentes que tem, o pior dos jovens. Diz que não vestem a camisola, que não fazem nada por amor e que não lutam pela sua independência, querendo estar sempre perto dos papás. Mas esse senhor, esquece-se que se não fosse a minha mãe e a minha avó eu passaria fome enquanto o ordenado não chegava e talvez fosse a cheirar mal para o trabalho porque também era capaz de não ter dinheiro para a agua, etc. Mas a ele juntam-se outros tantos que falam mal da juventude dos dias de hoje. Dizem que não queremos fazer nada. E sim, há gente assim, mas não é a juventude. São muitos, que são, mas não somos todos. A minha juventude não teve a vida dura de trabalho no campo, nem teve que deixar de estudar aos 10 anos. A minha juventude pode estudar, pode escolher com tempo o amor das suas vidas, pode escolher o caminho que queria seguir. A minha juventude conheceu o mundo através de um clique e sim, temos massa, arroz, batata, carne, peixe e sobremesa todos os dias que o quisermos. A minha juventude não tem que partilhar uma sardinha com cinco irmãos e tem roupa para cada dia da semana, ou mais. Mas a minha juventude perde todos os dia a capacidade de sonhar. A minha juventude começa aos 25 anos a tomar calmantes, secalhar até mais cedo, porque não é fácil estar a pedinchar um dinheiro que nos pertence e pelo qual trabalhamos todos. Eu paguei para trabalhar. E as leis não me protegem a mim. E eu não sei se chore ou se rie com esta palhaçada toda. Tomo um calmante, é o melhor. Mas depois falam de nós de boca cheia, "tens muita sorte, no meu tempo não era assim...", pois não. Não era melhor, mas vocês tinham a capacidade de sonhar porque isso ninguém vos tirava. Sabiam os rios e as montanhas, e sabem-no, orgulhosamente, até hoje. Com 25 anos já tinham não sei quantos filhos, eram homens e mulheres sabidos e a vossa juventude, por muito dura que tivesse sido, tinha tido um gosto especial. Precisavam de menos, ainda que vos custasse muito mais. Hoje exigem tanto de nós que, por muitas formações que tenhamos, nem sabemos para onde nos virar. Hoje conhecemos o mundo e sabemos que tudo é "já ali", mas o mundo que nos permitiu saber tanto não nos dá pernas para andar. E eu, que não quero abandonar o meu país porque o amo e porque é aqui que tenho o que, realmente me faz falta, tomo calmantes para suportar a dor de um país que nada faz por mim. Nem pelos meus. Nem pelos que estudaram comigo. Nem pelos que vejo crescer. Acredito que a nós nos falta uma coisa, a capacidade de revolução. Mas também nos ensinaram, possivelmente de forma errada, a resolver as coisas por bem. E talvez hoje, pela primeira vez, eu passe de um calmante para dois. Se passo fome? Não. Se preciso de algo? Não. Se tenho a capacidade de sonhar? Não. Mas um dia eu aprendi que "somos do tamanho dos nossos sonhos..." e é isso que todos os dias me destrói.

18.9.13

E se...

Imagem daqui.

...hoje foi um dia mau, amanhã será, com toda a certeza, um dia bom :) Um dia cheio de coisas para fazer e que, acredito, serão óptimas. Aaaah, e ainda não tinha dito por aqui mas ontem comecei um curso de fotografia e, apesar de ter sido só um dia, estou a adorar. Uma coisa meio básica que ensina técnicas fotográficas mas, mais importante que isso, ensina-me a trabalhar com a minha máquina fotográfica. Ou seja, ninguém vai sair dali fotógrafo, mas um pouquinho mais entendidos eheh Além disso é pós-laboral, duas vezes por semana, quatro horas e ainda ganho subsídio de alimentação, o que calha mesmo mesmo bem.

Hoje.

Imagem daqui.

Hoje tinha tudo para ser um daqueles dias bons. Dia em que já sabia o que vos ia escrever e a forma como a maioria dos que por aqui passam iriam ficar contentes. Hoje eu quase arranjei trabalho na minha área, mas seria um POC (programa ocupacional do Centro de emprego, que entretanto já nem se chama assim) e não foi aceite no Centro de Emprego porque não se trata de uma empresa pública nem privada sem fins lucrativos. Como tal, hoje era suposto ser um daqueles dias bons, mas não passará de um dia de caca. Como a maioria dos outros. É isto.

16.9.13

Avante, camaradas


A nossa rua no parque de campismo.


Chocos fritos de Setúbal. Delícia, delícia. Nunca tinha provado e fiquei fã :)


Bolo do caco e poncha da madeira. Fiquei surpreendida porque basicamente o bolo é uma espécie de pão de alho, mas lá que é divinal lá isso é. Quanto à poncha, nheca, não gostei.


Picanha e caipifruta do Brasiuuu. Tudo muito bom.


No último dia lembrámo-nos que comprar garrafinhas de vinho seria muito mais rentável que a cerveja. E assim foi, festa feita. Vinho muito bom, baratinho. Mas fotografei o talão pelo "Boa festa". Frase ouvida a cada minuto :D


Uma relva fresquinha, vinho e descanso. Tão bom.






Como o jornal Avante era feito antes do 25 de Abril. Um trabalho minucioso e que revela, realmente, um amor gigante ao partido e ao país. Cada letra, cada ponto, cada espaço, era ali colocado um a um. Já para não falar das imagens que são qualquer coisa de maravilhoso. Fazia-se tanto com tão pouco.


E aqui, a obra de arte, numa folha fininha finha que já está ali guardadinha no meu caderno de viagem :)


Tudo o que se vê é multidão.


Sérgio Godinho. Não gostei muito do concerto, mas gosto das músicas.

 Expensive Soul. Muito muito bom, e eu com uma dor de costas horrível.


Como podem ler, o espaço internacional da festa. Onde havia comidinha e artesanato dos mais distintos países. Ainda ganhei um preservativo do partido comunista alemão.  Aquela gente não será muito abonada, tendo em conta o tamanho do preservativo. Adiante.

 UHF. Gostei.


Xutos e Pontapés. A qualidade já é mais do que sabida.

E pronto, a festa já lá vai. Adorámos mesmo muito. Divertimo-nos tanto mas tanto que nem vos consigo explicar. Gente muito civilizada, excelente ambiente, tudo, tudo, tudo de bom. A única coisa a apontar foi ao início quando chegámos que ninguém mesmo sabia dar informação nenhuma de jeito. Apesar de serem voluntários convém terem pessoas informadas, mas passada a fúria inicial foi top.

15.9.13

Seis.


 
Seis. Uma mão cheia mais o início de uma outra. Histórias, muitas, tantas, inesquecíveis de uma felicidade pura. Um amor que só nós entendemos e reconhecemos. E sabemos de cor. Sabemo-nos de cor. Eu sei as tuas manhas e tu sabes as minhas. Como as sabes bem de mais até. O teu cheiro. O meu. E o nosso, em conjunto. Um sentimento que, sem saber bem como, continua a crescer cada dia mais. Gostar de ti com e sem barba, e mesmo que comeces a ficar careca. Os sonhos que são sonhados contigo, ao teu lado, sempre em conjunto. Um texto que estou a escreve e me parecem palavras soltas mas que sei que nos definem tão bem. Não sei o que me encantou em ti, nem o que te encantou em mim. Mas não me interessa. Sei que ao teu lado sou perfeita, sou a mulher mais linda do mundo, a que consegue e pode tudo e isso chega-me. E sei que tu, ao meu lado, és precisamente a mesma coisa. Amo-te na nossa mais pura imperfeição, quando acordas rabugento e antes de lavares os dentes. Quando abusas no perfume e me deixas com dor de cabeça. Mas amo-te na mesma, porque contigo tudo é mais simples. Muito mais belo. E se me perguntarem se és perfeito, eu digo que sim, embora saiba tão bem que ninguém o é, até porque se não fossem os (tão poucos) defeitos que tens eu nunca te amaria da mesma forma. Porque eu amo-te, no teu todo. Tão simples, tão belo, tão perfeito, tão meu.

[Texto que deveria ter sido escrito na bela Sexta-feira treze. Dia da sorte. Dia em que ele ganhou um novo amor, sua afilhada. Dia em que entre uma praia, sardinha e arroz de marisco festejamos seis anos de um amor como aqui vos descrevi.]

E estou de regresso e logo logo conto tudo :D

7.9.13

Boa noite, camaradas

E isto do Avante é realmente um mundo a parte que todos devíamos um dia conhecer . Políticas á parte, tasse mesmo bem 


5.9.13

As malas estão prontas.

Imagem daqui.

E eu também. Venha de lá o Avante, venham de lá as férias. Sítios e gentes novas, praias, sol (se não te importares São Pedro, dava jeito), calor, gelados, coca-cola, comida que engorda, protetor solar, etc etc etc. Por falar nisso vou pôr a minha bola de praia na mala, já cá ficava :P

Beijinhos beijinhos, vou tentar dar notícias pelos entretantos :D

4.9.13

Há relações...

Imagem daqui.

...que estão mesmo destinadas a dar errado. Por muitas voltas que tentemos dar não adianta, ainda que me esforce muito existirão sempre muitas coisas que eu nunca aceitarei. E uma dessas coisas é um pai ser só pai para alguns filhos. É isso e chamarem-me doutora.

Está dito, para recordar mais uma para a posteridade.

E agora é centrar-me nas minha férias que estão mesmo à porta e divertir-me muito, e aproveitar ao máximo. E agora digam-me lá, o que é que há para conhecer em Sesimbra??? :)

3.9.13

Prendinha Boticário

E agora que chegou o momento deprimente do dia, em que mando curriculus que sei que serão sem resposta, para desanuviar venho mostrar-vos o miminho do boticário. A loja O Boticário comemora 27 anos em Portugal e, para além de um desconto de 25% em todos os produtos, oferece ainda uma prendinha make b. infinit até dia 8 de Setembro.
Inicialmente estava um pouco "incomodada" por ir à loja SÓ pedir a prenda mas "vergonha é roubar e ser apanhada" e como tal lá fui e aqui vos apresento o que ganhei. No meu caso (não quero referir qual foi a loja) não me deram opção de escolha (mas nas condições da promoção também dizem que não há hipótese de se escolher, embora em muitas lojas o façam), e embora não use muito batons gostei bastante do que me saiu "na rifa".


Como o nome indica é um gloss stick, levinho e que dá para usar no dia a dia. Adorei :) Por mim podem passar a fazer isto todas as semanas eheh

E vocês já foram buscar o vosso? *

1.9.13

Goodbye August, Hello September


Imagem daqui

E é na passagem dos meses que vejo a rapidez com que este ano está a passar. Chega ao fim um mês especial para mim, até ao momento o mês mais doce deste ano.

Agosto deu-me a minha primeira viagem de avião e sozinha. (dias 7 e 14)
Não ficando fã na ida, adorei o regresso e quero repetir tudo com o homem da minha vida.

Agosto levou-me a conhecer o mais pequeno, mas tão gigante, amor da minha vida.
E quando o vi, deitado no seu berço, peguei-lhe de imediato e senti que o amor, embora nos transcenda o coração, fica-nos tão encachadinho e perfeito nos braços.

Agosto tornou-me madrinha desse mesmo amor. 
E assim o 13 ganhou um encanto especial quando, por terras Suíças, enterrei o cordão umbilical deste meu bebé, cumprindo a tradição envangélica da religião da mãe dele.

Agosto matou-me saudades.
Do meu primo que não via há dois anos e meio.

Agosto deixou-me sem dinheiro.
Porque eu arrisquei tudo para conhecer este bebé.

Agosto soube-me a chocolate.
Segundo os entendidos, o melhor do mundo. E provei milka com pintarolas, chocolate de iogurte com gomas, chocolate de gelado, lion e kit kat branco, chocolate de pistachio e framboesa, etc etc etc. E foi churros com nutella no lago mais bonito que alguma vez vi.

Agosto deu-me lágrimas de despedida.
Num aeroporto onde, bem atrasada, nem sequer conseguia decifrar muito bem a língua daqueles que o falavam.

Agosto foi reencontro.
E foi bom abraçá-lo no meu regresso a casa.

Agosto foi sol e banhos.

Agosto foi um jantar romântico.
Como despedida dos 24. Com velas, com flores secas, com "amor", com música romântica.

Agosto foram 25 anos.
Os melhores de sempre. Uma idade que acho linda. Um início de "dia" com os parabéns e um champagne pela mão do namorado. Uma surpresa de cada uma das melhores amigas. Um carro todo decorado com uma mensagem secreta, e um desenho doce. Uma festa surpresa, como nunca tive e tanto queria. A melhor amiga nessa festa quando eu pensava que estava na praia, como sempre esteve todos os anos. Os essenciais ali. Um vídeo, ideia do namorado, onde ele, as melhores amigas e seus respetivos me desejavam os parabéns. A parte final do vídeo onde aparecem os meus primos da Suíça e onde, o meu perfeito afilhado, pela voz da mãe marca presença com um "feliz aniversário madrinha". Lágrimas de uma felicidade imensa. O ter a certeza de quanto sou amada, incondicionalmente amada.
 
Agosto foram curriculus.
Sem resposta, claro está.

Agosto foi o primeiro subsídio de desemprego.
O primeiro de muitos poucos, espero.

Agosto foi Joana Vasconcelos, antes de ir para a Suiça.

Agosto foi solidariredade.
Com os meus bombeiros, doando comida.

Agosto foi feliz.
E trouxe-me a fé de que, daqui para a frente, a vida dará uma volta boa. 

Por isso meu querido mês de Setembro, traz-me coisas deliciosamente boas. Faz-me feliz. A mim e aos meus. Deixa-me gozar as minhas férias e a minha "primeira" ida ao Avante com o amor da minha vida. Deixa-me ser feliz nos meus seis anos de namoro.

Vem doce, vem forte, vem fazer-me imensamente feliz.