1.9.13

Goodbye August, Hello September


Imagem daqui

E é na passagem dos meses que vejo a rapidez com que este ano está a passar. Chega ao fim um mês especial para mim, até ao momento o mês mais doce deste ano.

Agosto deu-me a minha primeira viagem de avião e sozinha. (dias 7 e 14)
Não ficando fã na ida, adorei o regresso e quero repetir tudo com o homem da minha vida.

Agosto levou-me a conhecer o mais pequeno, mas tão gigante, amor da minha vida.
E quando o vi, deitado no seu berço, peguei-lhe de imediato e senti que o amor, embora nos transcenda o coração, fica-nos tão encachadinho e perfeito nos braços.

Agosto tornou-me madrinha desse mesmo amor. 
E assim o 13 ganhou um encanto especial quando, por terras Suíças, enterrei o cordão umbilical deste meu bebé, cumprindo a tradição envangélica da religião da mãe dele.

Agosto matou-me saudades.
Do meu primo que não via há dois anos e meio.

Agosto deixou-me sem dinheiro.
Porque eu arrisquei tudo para conhecer este bebé.

Agosto soube-me a chocolate.
Segundo os entendidos, o melhor do mundo. E provei milka com pintarolas, chocolate de iogurte com gomas, chocolate de gelado, lion e kit kat branco, chocolate de pistachio e framboesa, etc etc etc. E foi churros com nutella no lago mais bonito que alguma vez vi.

Agosto deu-me lágrimas de despedida.
Num aeroporto onde, bem atrasada, nem sequer conseguia decifrar muito bem a língua daqueles que o falavam.

Agosto foi reencontro.
E foi bom abraçá-lo no meu regresso a casa.

Agosto foi sol e banhos.

Agosto foi um jantar romântico.
Como despedida dos 24. Com velas, com flores secas, com "amor", com música romântica.

Agosto foram 25 anos.
Os melhores de sempre. Uma idade que acho linda. Um início de "dia" com os parabéns e um champagne pela mão do namorado. Uma surpresa de cada uma das melhores amigas. Um carro todo decorado com uma mensagem secreta, e um desenho doce. Uma festa surpresa, como nunca tive e tanto queria. A melhor amiga nessa festa quando eu pensava que estava na praia, como sempre esteve todos os anos. Os essenciais ali. Um vídeo, ideia do namorado, onde ele, as melhores amigas e seus respetivos me desejavam os parabéns. A parte final do vídeo onde aparecem os meus primos da Suíça e onde, o meu perfeito afilhado, pela voz da mãe marca presença com um "feliz aniversário madrinha". Lágrimas de uma felicidade imensa. O ter a certeza de quanto sou amada, incondicionalmente amada.
 
Agosto foram curriculus.
Sem resposta, claro está.

Agosto foi o primeiro subsídio de desemprego.
O primeiro de muitos poucos, espero.

Agosto foi Joana Vasconcelos, antes de ir para a Suiça.

Agosto foi solidariredade.
Com os meus bombeiros, doando comida.

Agosto foi feliz.
E trouxe-me a fé de que, daqui para a frente, a vida dará uma volta boa. 

Por isso meu querido mês de Setembro, traz-me coisas deliciosamente boas. Faz-me feliz. A mim e aos meus. Deixa-me gozar as minhas férias e a minha "primeira" ida ao Avante com o amor da minha vida. Deixa-me ser feliz nos meus seis anos de namoro.

Vem doce, vem forte, vem fazer-me imensamente feliz. 

1 comentário:

Clementine disse...

Vais ver que Setembro te vai trazer muitas coisas boas :) *